Gay senegalês recebe asilo por perseguição em seu país

Itália

altJovem de 26 anos rebeceu apoio da associação Mario Miele

Um jovem senegalês, que deixou o seu país por ser perseguido por causa de sua orientação sexual, obteve há poucos dias, em Roma, o reconhecimento de seu estado de refugiado.

Assim que chegou na Itália, há mais de um ano, o imigrante de 26 anos procurou o apoio da associação Mario Mieli, que presta assistência jurídica e social gratuita a homossexuais em situações de dificuldade (tel. 800110611). Os representantes da entidade ofereceram a ele assistência legal, além de ajuda em seu percurso de integração social e auxílio durante o processo de asilo.

“O caso traz à tona a extrema dificuldade em que se encontram milhões de lésbicas, gays e transexuais em vários países do mundo onde a homossexualidade é punida com detenção, prisão perpétua, tortura e até mesmo com pena de morte, além de sofrerem uma enorme perseguição social que coloca em risco a segurança e vida destas pessoas”, dizem os representantes da associação.

“Trata-se de uma contínua e grave violação dos direitos humanos, contra a qual a comunidade internacional deve intervir”. Na Uganda, por exemplo, os homossexuais são punidos com prisão perpétua e o governo está discutindo a introdução da pena de morte para estes casos. No Senegal, as penas contra os homosexuais podem chegar até a 10 anos de prisão e a perseguição social contra eles é enorme, muitas vezes até fatal.