Riccardi: “Reforma da cidadania entrará no programa de Monti”

Imigração

alt

Um dos padrinhos do projeto político guiado por Mario Monti, o ministro Andrea Riccardi anunciou que a “concessão da nacionalidade para os filhos de imigrantes regulares que freqüentam as escolas” entrará no programa de governo do primeiro ministro, em campanha para as eleições de fevereiro.

Imigração e cidadania encontrarão espaço no programa de governo de Monti. Palavra do ministro da Integração e Cooperação, Andrea Riccardi, um dos padrinhos do projeto político guiado pelo Professor. “O programa está sendo atualizado continuamente. Existirá um capitulo dedicado à concessão da cidadania para os filhos dos imigrantes regulares que freqüentam as escolas”, explicou ontem (23) o ministro Riccardi à Ansa, anunciando “um capítulo importante sobre integração e imigração”.

 “Posso antecipar que a filosofia de fundo será considerar a presença dos imigrantes no nosso país como uma oportunidade, um recurso para o crescimento econômico e não apenas como uma emergência”, disse Riccardi, acrescentando a importância de criar, a nível de governo central, um órgão que possa coordenar as competências que hoje são divididas entre os ministérios do Interior, do Trabalho e da Integração. “A questão da imigração deve ser enfrentada sob uma única ótica, que compreende a segurança, o trabalho, a escola, a língua italiana, a integração, a legalidade e o desenvolvimento”, afirmou.

“Direito, não concessão” –“Os temas conexos à imigração, em particular a reforma da lei sobre cidadania para os filhos de imigrantes, eram praticamente inexistentes no programa de governo apresentado por Monti. Assim, só podemos avaliar como positiva a promessa de Riccardi”, comentou Lívia Turco,  presidente do Fórum Imigração do Partido Democrático. Depois, ela fez questão de ressaltar a diferença.“Nós, como estamos dizendo há anos, acreditamos que chegou a hora de falar claro sobre direito e não sobre “concessão” da cidadania italiana a quem nasce na Itália, filho de pais estrangeiros residentes há pelo menos cinco anos no pais, como prevê o primeiro ponto da proposta de Bersani”, disse.

Em relação à nacionalidade, e outros temas cruciais sobre direitos, segundo Turco, o Pd pretende virar definitivamente a página em relação aos anos desastrosos dos governos de direita e às indecisões do governo Monti. “Queremos trabalhar para uma convergência, a mais ampla possível, de todas as outras forças políticas e civis, com a finalidade de dar um sinal de mudança cultural, política e legislativa”.