Na Itália, número de imigrantes triplicou em 10 anos

Imigração

altA força de trabalho dos imigrantes representa 10,2% do total do país

O número de imigrantes na Itália triplicou na última década, conforme o estudo “Nós Itália: cem estatísticas para entender o País em que vivemos”, apresentada pelo presidente do ISTAT, Enrico Giovannini, em ocasição da divulgação dos resultados do último Censo italiano.

O relatório mostra que em 2012, os cidadãos extracomunitários regularmente residentes na Itália eram mais de 3,6 milhões, um aumento de 100 mil pessoas em relação ao ano anterior. Ao contrário, entre 2010 e 2011, o fluxo de novos ingresso na Itália  foram siginificativamente menores, visto que o número de permissões de estadia solicitadas caiu 40% em um único ano.

Com relação às permissões de estadia por motivo familiar,  as concessões passaram de 12% para 31%
do total nos últimos 20 anos.

O estudo mostra ainda que o nível de instrução entre os imigrantes que residem na Itália segue a mesma média registrada entre os italianos: mais de 49% possuem ensino médio, 40% têm diploma de segundo grau e cerca de 9% têm nível universitário.

A força de trabalho dos imigrantes representa 10,2% do total do  país. A taxa de ocupação entre eles é maior que entre a população italiana: 66% contra 60% dos italianos. Já a taxa de desemprego entre os estrangeiros é de 12%, contra os 8% registrados entre os residentes italianos.